O lugar onde tudo termina (2013)

THE-PLACE-BEYOND-THE-PINES-Poster“If you ride like lightning you’re gonna crash like thunder.” O lugar onde tudo termina (The place beyond the pines, 2013) mostra o peso das circunstâncias sobre a vida das pessoas, assim como as consequências de suas ações. Pode parecer mais um daqueles filmes comuns com a premissa já batida “nossas vidas estão interligadas”, mas, felizmente, o filme supera isso e conta com uma linguagem visual bastante agradável, além da trilha sonora calma e sombria. Tive a curiosidade de assistir a este filme pela temática e pela atuação de Ryan Gosling em Drive (2011), um ótimo filme dirigido por Nicolas W. Refn

O filme é dividido em três partes, começando com a história de Luke Glaton (Ryan Gosling), habilidoso motoqueiro de circo itinerante que acaba reencontrando sua ex-namorada, Romina (Eva Mendes). Focado nas costas de Gosling enquanto ele se prepara para fazer o espetáculo, o filme já mostra sua pegada artística e o uso de cores frias. Na frente do circo, após o perigoso número, ele encontra Romina. Ela, relutando em vê-lo, deve revelar que os dois tiveram um bebê há um ano. Ao saber disso, Luke fica pensativo sobre ficar em Schenectady, voltando com Romina e assumindo seu papel de pai.

??????????????????????

Dando uma volta na floresta com sua moto, Luke é avistado por um mecânico, que acaba chamando-o para ajudar em sua oficina. O ponto é que, além do fraquíssimo movimento na mecânica, Luke não sabe fazer muitas coisas, além de entender de motores e dirigir muito bem. Em determinado ponto, o novo colega de trabalho acaba fazendo uma proposta arriscada para ganhar muito dinheiro: assaltar bancos. Luke, visando prover sua família, aceita o risco. Como se não bastasse uma vida medíocre, a polícia acaba entrando no caminho do motoqueiro, dando sequência para as próximas duas partes do filme.

A história de Avery (Bradley Cooper), policial que persegue Ryan Gosling , envolve um policial corrupto (Ray Liotta) e um chefe de delegacia omisso, além de seus dilemas psicológicos a respeito de seu trabalho e de seu filho. De forma vaga, para não contar nenhum spoiler do filme, a terceira parte dá o tema de todo o filme, mostrando as consequências das ações dos personagens de Cooper e de Gosling da forma mais encarnada possível: os seus filhos. A relação estabelecida entre as duas famílias, assim como a relação entre as gerações, mostra que The place beyond the pines é uma reflexão sobre as sutis influências paternas. Revelando as circunstancias de pobreza de Luke e Romina, a corrupção e o código de moral do trabalho de Avery, além dos aspectos subjetivos de cada personagem, o filme mostra de forma bela como as vidas das pessoas estão interligadas, assim como suas ações são determinadas.

O lugar onde tudo termina é um filme bem contando e sem enrolação em seus 140 minutos. Só me decepcionei com a ausência de Gosling nas outras partes do filme, pois além da parte dele ser a mais forte e interessante do filme, não curto muito essa divisão em histórias, como se fossem contos mais ou menos independentes dentro de um todo. Entretanto, achei o longa de Derek Cianfrance interessante e bom, apesar de não ter se destacado em seu ano de lançamento.

the-place-beyond-the-pines-2

Anúncios
Esse post foi publicado em Filmes e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s