O Túmulo dos Vagalumes

O anime japonês Túmulo dos Vagalumes (Hotaru no Haka, 1988), dirigido por Isao Takahata, é um drama anti-guerra indispensável para qualquer pessoa. É uma mistura perfeita de filme pacifista com drama que satisfez minha vontade de ver um filme de guerra. Hotaru no Haka centra-se na história de dois irmãos, Seita e Setsuko, que lutam para sobreviver durante os ataques no Japão, durante a Segunda Guerra Mundial. O pai luta no mar defendendo a pátria, enquanto um ataque aéreo dos Aliados utilizando bombas incendiárias carboniza a mãe das duas crianças. Após o duro choque da realidade, Seita decide esconder a morte da mãe para sua irmã mais nova e a partir de então, torna-se um irmão-pai.

Os irmãos têm a sorte de poderem morar com uma tia, mas com o avanço da guerra e a destruição cada vez maior das fábricas japonesas, a tia fica cada vez mais dura com eles por causa da falta de recursos e eventualmente os expulsam de casa. Durante esses período, os irmãos sobrevivem de saques ou trocando coisas, como os quimonos da mãe por comida.

Focando-se no cotidiano e nas dificuldades da vida dos dois irmãos, Túmulo dos Vagalumes é um triste retrato da morte dos inocentes que a guerra provoca. E quando as vítimas são crianças, a coisa fica preta pra nossa consciência. Esse olhar micro do conflito bélico mostra a tamanha desgraça que as pessoas passam, a realidade que se transforma em estatísticas e é tida como inevitável e até esperada numa guerra. Lembrando que o filme só abarca a história de duas crianças em uma cidade japonesa. Imagina se pensarmos em todas as pessoas, de todos os cantos do mundo que morreram durante essa mesma guerra. Acredito ser bem este o ponto forte do filme: contar uma história simples, de somente duas pessoas japonesas, mas conservando sua triste universalidade, representando as vidas que a guerra tira. Acredito que o filme me comoveu mais do que uma história clichê sobre Holocausto.

Além da tristeza que o filme carrega, há lugar para observarmos o forte vínculo entre os dois irmãos. É confortante e comovente ver a dedicação de Seita parar cuidar de sua irmãzinha. Apesar de tudo, Seita faz tudo que pode para encher o estômago de Setsuko e também chega a leva-la para a praia.

O sucesso do filme foi e continua tão grande que acabou resultando em uma emocionante versão “live-action” de 2005, em comemoração ao 60º aniversário do fim da segunda guerra mundial. Apesar de ser bem feita e ser rica em detalhes, mesmo assim a nova versão parece não atingir a magnitude e o impacto do desenho de 1988.

Sem exagerar ou forçar, sem nem mesmo tocar na questão das duas bombas atômicas detonadas no país pelos EUA, Hotaru no Haka comove até o mais duro coração.

Anúncios
Esse post foi publicado em Filmes e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O Túmulo dos Vagalumes

  1. cafebeatnik disse:

    quantas referências fantásticas. devo admitir que tenho muito carinho por várias delas… o túmulo dos vagalumes, acredito, foi um clássico que me fisgou logo de cara quando o assisti. 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s